sexta-feira, 17 de junho de 2011

A Esposa


Adivinha quem acaba de me ligar?

Chute, arrisque, pelo menos tente um palpite, vá que você acerte.

Você é bom em brincar com a sorte.

Tem certeza de que não vai sequer tentar?

Ela ligou.

Ela quem?

Tem certeza que você não sabe?

A outra.

Tua cara de desespero está ótima, como é bom te ver assim sem ação, logo você que tem sempre frase pronta pra tudo, tão eloqüente, oratória tão apurada, como é bom te ver indefeso. Não indefeso de desprotegido, indefeso de sem argumento.

Pare com isso, não precisa perder seu tempo tentando encontrar uma desculpa a pronta entrega, não gaste sua argumentação à toa, economize seu latim, não vai adiantar nada, não vai fazer diferença, não vai salvar a sua pele.

Não que eu não soubesse, você sabe, sempre soube que eu sempre soube. Mas, de um jeito meio masoquista, gostava da brincadeira de fingir que acreditava enquanto você fingia que me enganava.

Mas, antes, você era mais cuidadoso, dava pra tolerar. Agora ficou difícil.

Por que eu tolerava? Por que há muito deixei de te amar. Só não gosto de me expor, de virar assunto nas bocas desocupadas dos outros, preferia fingir que estava tudo bem.

Não meu querido, você não escutou errado, eu realmente não te amava mais, já fazia muito, muito tempo. Não é possível amar quem não nos respeita, e respeito é algo que há tempos você já não me oferecia. Mas me oferecia conforto, a troca valia a pena. Te presenteei com minha indiferença em troca do cartão de crédito, desta casa, do carro que é só meu, minha gastança desmedida era minha vingancinha particular. Adorava ver tua cara de preocupado todo fim do mês só por causa dos meus excessos, da minha indenização outorgada a mim por mim mesma.

Não fique preocupado, essa faca na minha mão não é para você. Eu estava preparando o jantar que você não vai comer.

Estou quase emocionada com estes olhos marejados. Você fica engraçado chorando. Se o seu amor já não era convincente, imagine o seu arrependimento.

Chega! Pare de gaguejar, fica feio pra você, não combina, sempre tão seguro de si, não combina.

Fique tranqüilo, já falei, esta faca não é para você. Não vou fazer picadinho de você, embora você mereça. Minha vingança começou faz tempo, já disse. Só vai ser um pouquinho mais severa a partir de agora.

Sim, eu penso nas crianças, mas não se preocupe com elas, vou tomar todas as providências para que você continue oferecendo a elas todo o conforto do mundo. Mais, inclusive, do que tiveram até agora.

Eu não preciso pensar melhor, não preciso pensar com calma, eu estou calma. Você é quem está nervoso, não eu.

Não, você não pode ficar nem mais um minuto. Não precisa arrumar suas coisas, você terá que comprar coisas novas. Doei tudo o que era seu há pouco mais de meia hora. Sim, tudo, tudinho mesmo. Seja lá quem for receber, certamente não vai se importar em desfilar com um rolex usado. Sim, sim, sim, sua coleção de relógios também foi doada.

Abaixe a voz, você não tem o direito de levantar a voz pra mim. O melhor que você pode fazer é ficar com a boca bem fechada, assim este hálito que exala o cheiro podre da sua essência não vai empestear o ar da minha casa. Sim, minha casa, minha, só minha, ou você acha que algum juiz vai desabrigar uma mulher traída e seus dois filhos em favor de um adúltero?

É claro que eu posso provar, ela se prontificou a ser minha testemunha. Vai querer me desafiar? Não acho que seja prudente, mas é você quem sabe, depois arque com as conseqüências.

Não me interessa o que você vai fazer, sua vida já não é mais da minha conta. Volte para ela, se bem que acho que nem ela te quer mais. Mas, segundo o que ela falou, tem uma outra na jogada, outra além dela, não é mesmo?

Então, alugue uma casinha pra vocês dois, uma casinha com jardim, bem romântica, com cerquinha branca, cortinas cheias de babadinhos. Plante os seus cravos vermelhos no jardim da sua casinha.

Sim, eu sei dos cravos vermelhos. Você não ficou todo vaidoso com a cesta de flores que recebeu? Então, abra o vinho que, segundo a outra, é vagabundo, e brinde com a sua nova vagabunda.

Não se preocupe comigo, eu não vou chorar por você, não vou sofrer por você. E, mesmo que sofra, o seu dinheiro me pagará um psicólogo, um dos bons, um dos bem caros. Farei cem anos de terapia financiada pelo seu dinheiro, se achar que preciso. Mas não vou precisar, o que não significa que você gastará menos comigo.

Corra para a menininha dos cravos vermelhos, antes que eu mude de ideia quanto a utilidade que vou dar para esta faca.

Brincadeirinha, fique tranqüilo. Já me sujei com o seu sêmem, não vou me sujar com o seu sangue.

Não, meu querido, nós não vamos mais conversar. Nunca mais.

O meu advogado, que você vai pagar, irá conversar com o seu advogado, que também será pago por você.

Agora chega, vá embora que eu preciso terminar o meu jantar.

E não bata a porta, se não você terá que pagar o conserto.

6 comentários:

Karoliny S. Coelho disse...

Estou começando a ficar com pena dele. Antes tinha as três e agora a esposa e a outra já não o querem mais. Só resta a que mandou os cravos vermelhos. Será que ela também não quer mais saber dele? Dúvida cruel...
Texto maravilhoso.

Nayana. disse...

Sonho da minha vida é proferir um monólogo desses.

Jonatan Strange disse...

Eu terminaria a história expondo que ele mesmo mandou as flores e o vinho ruim. Descobriu que a vida dele seria melhor sem ambas, mas não conseguiria deixar apenas uma. Então, ele mesmo constrói uma terceira fictícia e ainda sai como vilão da história, mas no fundo, o triunfo foi dele.

Don Mattos disse...

Jonatan, seu merda!

Esse era o meu final, agora tu me obrigaste a reescrever os dois textos que tenho pronto.

Caralho, e eu tô com uma preguiça do caralho...

FAzer o quê, ossos do ofício.

Don Mattos disse...

Para deixar claro, no terceiro texto, a outra saberia que a esposa o deixou, e pediria para voltar, ele terminaria dizendo que tentaria reconquistá-la, e por isso não a aceitaria de volta.

No quarto texto, ele deixaria tudo as claras, e terminaria conforme descreveste.

Jonatan, tu és um merda tão merda, que a próxima cerveja é por minha conta.

Heineken, também te pago o maço de malboro.

Box.

Bruna Rafaella disse...

Ah assim não vale.
o Final do Jonatan realmente caiu bem com os textos, o que será que vai acontecer agora?
Ficou surpreso né Don??
que meleca, hahahahahaa.
Eu acho que ele deveria se dar mal no final, eu sei que tem mulheres que não prestam, mas a escolha foi dele, a traição veio dele, não acho justo ele ficar nem com a outra, nem com nenhuma, ele pode até morrer ou dizer que na verdade existe outro homen, é.

Beijo enorme e feliz!!!!

Amei os textos!!!!!!!!